Imagem capa - Você imprime suas fotos? E como ficam suas memórias? por Erika Bratfisch Dominiquini
Pensamentos Fotográficos

Você imprime suas fotos? E como ficam suas memórias?

Sempre venho pensando... porque, hoje em dia, as pessoas não veem mais suas fotos? A não ser nos dispositivos eletrônicos? No celular ou redes sociais?


Com o advento da fotografia digital, a fotografia impressa perdeu espaço. Na época em que eu era criança e adolescente, existia uma certa magia em relação a fotografia... primeiro quando colocávamos o filme na câmera, com todo cuidado, no escuro para não correr o risco dele queimar. Depois fazíamos pouquíssimas fotos, pois o maior rolo de filme tinha somente 36 poses, ou seja, nada de foto, comparando-se com as milhões de imagens que fazemos com os cartões de memórias das câmeras atuais.


Lembro de umas fotos que minha mãe fez quando fiz 6 anos e eu estava banguela dos dois dentes da frente. Quando eu vi as fotos impressas, aquele buraco enorme na minha boca, rasguei varias delas. Minha mãe ficou muito brava comigo, uma vez que teria que mandar revelar tudo de novo, levando os negativos na loja de revelação.


Uma coisa que eu adorava fazer, ainda quando pequena, era pegar a caixa de fotos (sim, a gente tinha uma caixa de fotos), sentar no chão ou no sofá e ver as fotos, ver meus pais jovens, eu menor ainda, meu irmão um bebê. Era muito especial... sabe aquele momento que a gente sentava em família e curtia? Era assim... e hoje, essa prática está sendo deixada de lado... quando foi que você pegou sua caixa de fotos e sentou junto com a família? Para relembrar a história de vocês?


As fotografias de família são um bem muito precioso para todos. Eu adoro ver as fotos antigas da minha avó materna e meu avô. Eles se conheceram num carnaval, e existe uma fotografia da minha avó, muito nova, toda fantasiada para a festa. A foto é tão antiga que não existia fotografia em cores, ela foi colorida manualmente. Vocês já viram isso?


Minha avó Cici à esquerda com sua amiga num desses carnavais

Minha avó Cici à esquerda com sua amiga num desses carnavais, foto colorida à mão


Minha avó Cici bem novinha

Minha avó Cici bem novinha


3 gerações, minha prima Carla, minha tia Lygia, minha avó Cici, minha mãe Renata e eu em 1998

3 gerações, minha prima Carla, minha tia Lygia, minha avó Cici, minha mãe Renata e eu em 1998


Pensando em tudo isso, resolvi começar a colocar as minhas fotografias no papel! Fiz álbuns das viagens... álbum de formatura de meu filho... e fora isso, estou ampliando também fotografias que estão nas redes sociais. Mas você deve estar se perguntando como revelar as suas Fotos... se não existem tantas lojas de revelação hoje em dia, como existiam antigamente.


Meu filho Eduardo com 16 ou 17 anos - Fotos do meu amigo Rildo Cundiev

Meu filho Eduardo com 16 ou 17 anos - Fotos do meu amigo Rildo Cundiev


Hoje existem sites que você pode mandar as fotos do seu computador e até mesmo do Facebook, Instagram e outras redes, fazer o pagamento por cartão de crédito ou boleto. São sites seguros e confiáveis. Já utilizei o serviço de alguns e fiquei muito satisfeita. Abaixo seguem os links de sites interessantes que você pode utilizar para colocar sua história no papel:


https://www.phooto.com.br/


www.fotoregistro.com.br


https://m.nicephotos.com.br/


Existem até app que vc instala no celular e manda fazer as ampliações direto de sua galeria de Fotos:


Gostou do post? Comente abaixo!


Quer ajuda para ampliar suas fotos ou fazer álbuns? Me mande uma mensagem, vou ficar feliz em te ajudar a deixar lindas memórias para a história de sua família!

Link direto para meu whats: Bit.ly/zapdacaca